Desabafo

 


Aviso! Esta partilha, resultante da purificação desta última lua balsâmica, tem conteúdos delicados para pessoas mais sensíveis espiritualmente. Desaconselho a leitura, pois aconselho primeiro a tentarem caminhar com as minhas botas, já as descalcei e arrumei mas tinha de deixar esta mensagem em jeito de despedida!

Há muitas pessoas que gostam de partilhar os seus momentos, as suas reflexões, as suas imagens, os seus filhos de sangue ou por afinidade, os seus companheiros, a sua família, etc. Há outras que simplesmente as suas vidas não passam nas redes e essas eu admiro muito pois eu sou mais daquelas que não consegue ficar calada e se ficar calada muito tempo, é mau sinal, tenho o coração na boca, gosto de comunicar e de contar as minhas histórias, sem medos e sem auto críticas, faço o mesmo de coração. Claro que houve, no meio disto, uma fase que também não o fazia, sentia vergonha, tristeza e tinha medo que outras pessoas lessem as minhas partilhas e as julgassem de forma errada. Hoje em dia, felizmente ultrapassei isso, gosto muito de escrever os meus pensamentos e gosto de partilhá-los e é já desde 2011, ano em que criei o blog que o faço. Tive momentos menos instagramáveis e dignos de um bom drama. Mas hoje sinto-me feliz por partilhar as minhas pequenas vitórias e o meu caminho convosco. Se sou vaidosa, se tenho orgulho no meu caminho, tenho sim, e tenho também muito orgulho no meu passado e nas minhas relações. No meio disto tudo o melhor mesmo são as pessoas que fui conhecendo, desde o blog da minha mercearia, ao projecto da venda, às histórias dos meus partos partilhadas no meu outro blog, posso já contar inúmeras amizades que fui tocando de diferentes maneiras e pessoas que, quando passam do silêncio por detrás de um ecrã e me dizem que a minha escrita as cativa mesmo que eu não fale a mesma linguagem delas, me mantêm firme nesta minha escolha de partilhar algumas coisas da minha vida, do que faço e do caminho que percorro.
No entanto tenho a dizer que acho um pouco estranho as pessoas que, tendo também elas partilhado das suas alegrias e gloriosas conquistas no mundo virtual e pessoal, comecem a julgar, a criticar e a enviar recados tentando manchar as partilhas da felicidade dos outros e a acharem-se a última bolacha do pacote pela sua espiritualidade tão enraizada e por serem donas de ideias nunca antes tidas por ninguém, sim porque elas nunca tentaram imitar ninguém!
Sabem aquele tipo de pessoas que assim que surge uma oportunidade se lançam com unhas e dentes levando a sua presa arrastada pelo chão, vangloriando-se da desgraça alheia e contando em longos textos teorias sobre a loucura dos outros e ao mesmo tempo sobre o amor a tudo e a todos, exponenciando a sua vida perfeita mas que baixam a crista quando os outros estão felizes porque isso não estava definitivamente nos seus planos?! Pois lamento muito em desiludir-vos, afinal não são assim tão "ligados" quanto fazem parecer. E isso não é ser humano, muito menos espiritual, sequer animal, é desprezível, vem de pessoas realmente doentes e sedentas de poder e ambição desmedidos que ainda vibram na frequência do patriarcado. As nossas formas de cantar são bem diferentes, temos melodias dissonantes. E não precisavamos ter cuspido na cara a canção que entoámos em jeito de desprezo e vontade de ser superiores. Somos pessoas feitas da mesma matéria mas não fomos colocadas no mesmo saco. Há uma enorme diferença na essência do que fazemos e sentimos, no que procuramos.
Eu não quero julgar, apesar de estar a fazer uma reflexão de revolta porque eu posso ser bondosa mas não sou estúpida e, embora até aqui tenha preferido o silêncio e a descrição, sei que devem vir por aí mais recados virtuais, então em jeito de finalizar um capítulo e de limpar o que já não me serve, eu assumo a minha presença e acima de tudo a minha liberdade e porque, antes de publicar o que quer que seja, eu consagro para o bem de todos, os frutos das minhas partilhas mas também chega de ter medo de pisar terrenos onde eu lancei as minhas sementes.
Na verdade eu tenho mesmo pena que assim seja mas claro que não consigo mudar as mentes tão iluminadas de alguém. Muito menos de quem se ache com o rei na barriga, não passando de lobos em pele de cordeiros e assim idolatrados por pessoas crentes nestes gurus todos poderosos! Felizmente percebi a tempo que essa não era a minha forma de viver e estar na vida.
Eu penso porque realmente incomoda tanto a felicidade alheia, ou será que se sente ameaça? Pois bem isso será apenas criado nas suas cabeças porque na verdade a minha partilha vem de um lugar bem diferente, onde não há competição, julgamento ou outra merda qualquer. Faço o não para impressionar mas para inspirar e para aproximar corações. Não o conseguirei fazer com todas as pessoas é verdade, mas quero andar próximo disso porque eu acredito na bondade de todos, já às cabeças e respetivos egos não consigo alcançar tão facilmente.
É também importante referir que durante muito tempo eu tive medo de me repetir de não me fazer singular, mas como eu já ando nisto há muito, assumo que vou cada vez mais ao sabor das minhas verdades e daquilo que o meu ser mais procura aqui na terra, do encontro de corações, do profundo cumprir de missão e de estar ao serviço dos outros com os meus dons, saberes e humildade, respeitando sempre o lugar de todos, mas não me deixando acobardar pelo medo de fazer parecido, igual ou totalmente diferente. Sou livre e inspiro-me em quem eu quiser, tal como se inspiraram em mim, sim?! Não tenho necessidade de copiar ideias de ninguém, tenho as minhas antenas bem ligadas e conecto-me facilmente a outros mundos recebendo inspiração. Se alguém me copia, imita ou se sente inspirado por mim, pois ainda bem, fico mesmo muito feliz que assim se faça.
Somos únicos e cada um traz uma mensagem autêntica, por isso não há que preocupar em competir, em repetir ideias, valores, se procurarem bem dentro de vocês vão perceber que no vosso coração canta uma melodia preciosa e única que encantará pela pureza mais do que pelos ensinamentos dos vossos afamados professores. Confiem!
No fim deste depoimento todo eu espero mesmo é que tudo possa correr bem e que sejamos todos felizes para sempre, nessa utopia que vivem alguns de que acordar todos os dias felizes é alcançável para todos. Somos cíclicos, a roda gira e há que respeitar os processos de cada um. Também acedemos a verdadeiros tesouros quando caminhamos no escuro e por debaixo da terra num movimento descendente. Que todos possam trazer os seus sonhos manifestados e que possam estar em paz nesta roda da vida, onde a luz e a escuridão são ambas necessárias.
E que os meus desejos mais profundos sejam para o meu bem, para o bem dos meus filhos, para o bem de todos e para o bem da terra, esta é a verdadeira mensagem da minha veia bipolar.
"I bow to you
My soul honours your soul
I honor the light, love, true, beauty
& peace within you, because it is also within me
In sharing this things we are united, we are the same, we are one"

0 comentários:

Enviar um comentário