Sebastião





28 Agosto 2015

Numa noite quente de verão, nascia o Sebastião. A feira de agosto já tinha começado e durante o dia eu comprara flores para o altar, naquela noite a aldeia ia ficar deserta e eu podia abrir as janelas, da casa e do corpo, estava toda a gente na feira, ninguém ia ouvir-me! E assim passaram 5 anos deste pequeno grande guru na minha vida. Tantas bênçãos! Vieste salvar-me! De uma relação, de uma doença e da fome que eu tinha de mim e da vida.
Vieste mostrar-me que eu podia amar e cuidar mais. Vieste ensinar-me sobre escutar o coração que te dói quando às vezes eu ainda ralho contigo. Vieste para me mostrar que as minhas relações masculinas eram de falta em vez de inteireza. Vieste abrir caminho para suavizar o meu lado masculino, aceitar as feridas do pai, do parceiro, do amigo, do irmão e de todas as relações com o masculino. Que eu possa também abrir o teu caminho. Que eu possa ensinar-te que está tudo certo em brincares com bonecas, em queres pintar os lábios, em quereres ir com o avô ver as ovelhas, em queres ir ao café, em quereres chamar outra mulher de mãe. Que eu saiba continuar a ensinar-te a pôr a mesa, a fazeres a tua cama, a fazer a tua comida, tal como faço com a tua irmã, para que nunca dependas e careças de mulheres ou de outras pessoas para isso. Que saibas receber colo como opção e não como necessidade. Que eu possa ver-te crescer e seres quem mais desejas.
Um dia a minha doula disse-me que um pós-parto pode durar alguns anos. Hoje, de lábios vermelhos celebro o fim deste pós-parto que, não durou tempo demais, durou o tempo certo para nos alinharmos. Amor infinito por este ser!
28 de Agosto 2020

0 comentários:

Publicar um comentário