Nesta altura do ano as nossas praias alentejanas estão cheias, então resolvemos fugir e ir em direção oposta, sozinhos, como forma de despedida de pais de uma filha só, porque a seguir o amor e o trabalho aumentam aqui em casa e é preciso recolher. Resolvemos viajar para perto e visitar um monte de agro-turismo que produz óleos essenciais de produção biológica bem na serra de Mértola, usufruindo da paisagem do Parque Natural do Vale do Guadiana. Um monte isolado onde o silêncio é rei e do qual nós, que já moramos no campo, não prescindimos nesta altura do ano. Uma piscina só para nós e uma paisagem incrível em redor. O dono do monte muito atencioso mostrou-nos a destilaria e contou-nos como foi montar esta forma de vida sustentável. Os óleos são provenientes de plantas como a esteva, o alecrim, a macela e outras que crescem ali mesmo na serra. Estes são óleos de excelência para serem usados na medicina tradicional indiana, medicina ayurvédica, uma vez que são produzidos na nossa região e segundo esta medicina, devemos curar-nos com plantas que existam à nossa volta, fazendo todos parte de um ecossistema. Assim juntámos o útil ao agradável e aproveitamos para trazer na mala alguns óleos essenciais que ele tanto usa nas suas terapias

Ali perto podemos também visitar a vila de Mértola, com as suas casas brancas encantadoras, ou então andar mais um pouco e conhecer Alcoutim, vila em que o rio Guadiana separa Portugal de Espanha. Visitamos também o Pulo do Lobo, um lugar incrível, que vale cada km de terra batida, a maior cascata de água a sul de Portugal.  A poucos kms de casa e com o tempo a favor da minha grande barriga, foi um fim de semana em que deu para descansar e ganhar energias para os novos dias que se avizinham. 





















Sou mãe desde 2011 e é uma das experiências mais enriquecedoras que posso ter, talvez a minha melhor profissão. Também tem sido um grande desafio conhecer-me através do ser mãe. A maternidade foi algo que desejei desde muito cedo e que concretizei com um homem maravilhoso ao meu lado, que me apoia em todos os momentos. Acredito que sozinha não teria sido tão fácil. O parto foi uma transformação incrível que pude vivenciar. Ser mãe quase sempre a tempo inteiro, tem me mostrado muito do meu pior e do meu melhor e isso tem sido desafiador e bastante transformador. Sonho com uma escola Waldorf para os meus filhos e, acima de tudo, para outras crianças, porque considero importante uma educação holística da criança, em que todos os aspectos são tidos em conta. Neste momento estou grávida pela segunda vez e muito feliz por poder repetir a experiência e conhecer um novo ser que se juntará em breve à nossa família.


Ajudei a criar um Círculo de Mulheres que se encontra mensalmente e que realiza um trabalho sério e subtil em torno do resgate do sagrado feminino. Chamei-lhes Peregrinas da Lua e somos um Círculo de Mulheres que se permitem ligar à sua essência feminina e à lua que as instrua. Inspiram-nos estes círculos porque nos ligam ao conhecimento ancestral que trazemos dentro de cada uma de nós e nos levam a um maior conhecimento daquilo que somos e que, quando é partilhado, se torna mais poderoso. Sentimos necessidade de fortalecer as nossas ligações e de reunir em círculo de forma a curar e a trazer consciência ao nosso ser feminino. Estes círculos empoderam-nos, e trazem-nos de volta à nossa ligação com a mãe-terra. Em círculo realizo ainda a Jornada Lunar, um trabalho que permite conhecer os arquétipos femininos. Este trabalho é realizado durante 13 luas, ou seja, durante um ano. No entanto, deve participar apenas quem já frequente o Círculo de Mulheres. 

Próximo Círculo de Mulheres: 6 de Fevereiro de 2016 pelas 14h30 no Somos Yoga em Grândola

Informações/Inscrições: 
966439481 
belindasobral@gmail.com
                                                                                         Imagem | © Joana Meneses Photography
Comecei por praticar yoga em 2007 por ter problemas na coluna (hérnias discais) e isso mudou a minha forma de estar na vida. Em 2009 conheci o meu companheiro, professor de yoga, e a partir daí achava que o yoga era um dado adquirido na nossa vida, fazia yoga todos os dias e, quando não fazia, alguém fazia por mim. Quando fiquei grávida em 2010, o yoga ajudou-me a estabelecer uma maior proximidade à minha bebé e àquilo que desejava para o meu parto. Consegui ter um parto de sonho e, logo desejei que todas as mulheres pudessem vivenciar o mesmo poder de dar à luz e a mesma alegria. Aprendi que a revolução deve ser silenciosa, que não devemos impor aos outros as nossas convicções, mas sim vivermos honestamente com o nosso ser e as nossas crenças e e só assim podemos levar os outros a seguirem as suas próprias convicções, a serem eles próprios e a procurarem dentro deles as respostas à vida. Mais tarde fiz formação em yoga para grávidas com a Anne Sobotta e após uns meses voltei a engravidar e percebi melhor como é fazer yoga com grávidas, estando também eu grávida. Respirando juntas com os nossos bebés, percebi que há algo mais nesta prática que me deixa tão próxima de mim e do meu ser. Atualmente dou aulas de yoga para grávidas em Grândola na nossa Escola Somos Yoga. É uma constante descoberta de mim, do meu corpo e do meu ser e por isso considero o yoga uma pratica para a vida, que podemos levar conosco para qualquer lugar. 

As aulas acontecem às terças, quintas e sábados às 11h30 no Somos Yoga em Grândola. 

Valor:
aulas em grupo - 25E (1xsemana) e 35E (2xsemana)
aulas individuais - 7.5E (1 aula)

                                                                           Imagem | © Joana Meneses Photography


Cresci numa pequena aldeia onde apenas se consumiam legumes e frutas da época que os meus pais, avós e vizinhos cultivavam. Na minha família sempre houve criação de animais para consumo próprio. Nunca ia às compras porque os meus pais tinham uma mercearia. Quando sai para estudar estranhei a ideia de ter de comprar alimentos fora de época, assim como carne embalada  e peixe congelado e a partir daí comecei a ler e a interessar-me por saber de onde provinham os alimentos e como chegavam até nós. Os meus livros favoritos na faculdade eram livros de receitas! Passava a vida a olhar para elas e a aprender sobre uma alimentação mais saudável. Lia artigos e tudo o que tivesse a ver com alimentação e nutrição saudável. Comecei a interessar-me por alimentação vegetariana e fui experimentando novas receitas. Nunca fui vegetariana, mas a minha alimentação é 90% vegetariana. Adoro comer e procuro fazer uma alimentação saudável para mim e para a minha família. Procuro frutas e verduras da estação e sempre que possível produtos de origem local. Eu e o meu companheiro, além de gostarmos imenso de cozinhar em casa e para os amigos, também facilitamos workshops de Alimentação e Nutrição Saudável. Ainda não encontrámos a "dieta" perfeita e por isso vamos aprendendo e partilhando o que nos faz mais sentido nesta fase da vida. 

                                                                            Imagem | © Joana Meneses Photography