Chegou o Natal




Este ano começámos por fazer a nossa árvore de Natal em Novembro, uma vez que vamos passar o Natal ao norte e assim podemos viver o espirito natalício por mais tempo aqui em casa. A árvore mantém-se, e os enfeites são quase sempre os mesmos, as cores e os materiais resultam muito bem, algumas peças são em madeira, outras em palhinha e, este ano, luzes! convenci o papá a comprar luzes de Natal, a Mel ajudou, senão eu não teria sido tão bem sucedida. Encontrei ainda um presépio igual ao que existia em casa dos meus pais e do qual guardo boas recordações de infância. Fomos apanhar musgo e construimos um presépio "vivo" que me suja o chão todos os dias, mas é bom ver a Mel a criar histórias em volta dele. Fiz também esta fada em lã e feltro num workshop de feltragem e ficou ainda a vontade de fazer o calendário do advento mas já não vou a tempo. 

Por aqui vamos cumprindo a tradição de não comprar muitas prendas de Natal e tentando fazer alguma coisa especial para oferecer ou então comprar artesanato local. Já tenho algumas coisas pensadas, mas a inspiração maior vem sempre à última da hora, o que dá muito jeito... 

Os presentes são apenas um pretexto para dizermos o quanto gostamos de alguém, mas nós insistimos em materializar os sentimentos, porque é sempre mais fácil dizer o quanto gostamos num par de meias novas oferecidas no natal. Para mim também é um desafio, o desafio de desembrulhar corações, de olhar mais nos olhos, de ouvir em vez de falar, de abraçar de peito aberto e do silêncio saber-nos bem. É mais disso que procuro neste Natal. 

Da aldeia
com calor e amor,
Belinda

2 comentários:

  1. eu também fiz a minha árvore em Novembro :) gosto tanto de olhar para ela, quanto mais tempo tiver melhor :) *

    ResponderEliminar