carta a uma filha

Filha, se puderes, fica. Fica neste país que é tão lindo. Fica, mas também podes ir, podes ir para onde queiras ir. Podes viajar, conhecer o mundo, mas antes de mais conhece-te a ti própria. Não viajes para tirar fotografias a viajar, viaja sim para dentro de ti, conhece-te através do mundo, das pessoas e dos lugares.

Filha, se puderes, fica. Fica, mas desliga a televisão. Quando puderes liga-a, mas liga-a apenas para veres a rtp2, não, desliga, desliga porque até aí, a cultura desapareceu. Se puderes, nunca vejas um telejornal, porque aí as pessoas vivem de emoções, porque aos veres o telejornal, não vais ser feliz, vais apenas viver as emoções dos outros, e não vais puder mudar o mundo. Se puderes, vai antes para a horta e aprende com os mais velhos o que eles melhor sabem fazer nesta terra onde cresceste, aprende a cultivar o que vais levar para a tua mesa. Aprende a viver os dias em ritmo com a natureza, com a lua e com o sol. Aprende a ser feliz e a mudar o teu próprio mundo. Vive apenas a tua vida e nunca a vida dos outros. Se puderes lê muitos livros. Nos livros cabe toda a sabedoria do mundo. E escolhe aqueles que te façam mais feliz e que ensinam que a chuva e os dias cinzentos também fazem falta.

Filha, se puderes, vê o sol nascer todos os dias e se puderes chega sempre cedo a casa, cuida dos teus e sê feliz com eles, não procures na rua a aprovação dos outros. Se puderes, vai ao teatro, ao cinema, aprende uma arte qualquer e, se puderes, partilha-a com os outros. 

Se puderes, sê feliz, não esperes que o teu país te faça feliz. A felicidade não está num lugar, a felicidade parte de ti em direção ao lugar onde estás. Podes procurar todos os lugares e, em todos eles, irás encontrar alegria e tristeza. Tu és quem terá de escolher com qual das duas queres viver. Mas se puderes viaja, se puderes fica. O nosso país é tão lindo, nele vais conhecer pessoas maravilhosas, paisagens fabulosas, tradições que valem a pena. Se puderes não te envergonhes do país que tens. Mas, se puderes, procura a verdadeira cultura que existe nas pessoas mais simples. Procura dançar as danças de roda, procura cantar as modas alentejanas, procura viver as tradições dos lugares onde vives. Nunca te envergonhes a dançar. Dança sempre como se toda a gente estivesse a olhar para ti e fá-los dançar contigo.

Filha, se puderes, fica. Os teus pais ficaram e escolheram uma forma mais simples de viver. Vivem sem luxos, vivem mais do amor do que do dinheiro e são felizes. A verdade é que fazem aquilo que os faz mais feliz e vivem sem pressas e com os sonhos nos braços. Vivem como se o agora fosse o mais importante. Mas filha, se puderes, vai, vai e procura o conforto, ele poderá fazer-te feliz, mas nunca te fará tão feliz quanto o amor. 

A verdade é que poucas pessoas entenderão o que os teus pais querem dizer, mas filha, se puderes, procura-te, vai bem dentro de ti e percebe todas as mágoas que porventura te deixámos. Trá-las todas cá para fora e deita-as ao mar ou à terra, nunca ao vento. Chora sempre que tiveres de chorar e ri em voz alta para toda a gente rir contigo. 




18 comentários:

  1. Gosto muito! E entendo, pois é também a minha maneira de ver a vida e como tento vive-la a cada dia. É impossível deixar de pensar no futuro quando tenho um bebé de 20 meses e tendo eu deixado de trabalhar para cuidar dele, mas tento viver o presente e aproveitar cada momento. E sei que o futuro dele também vai depender de algumas escolhas conscientes que, nós pais fizermos. Gostei muito, Belinda. Gostava de ouvi-la falar mais sobre as escolinhas do método Waldorf, pois adorava que o meu filho fizesse as primeiras aprendizagens numa escola assim. Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, irei sim falar mais sobre método Waldorf, mas também estou a descobri-lo, aos poucos. Obrigada Ana, pelas suas palavras e também por perceber tão bem o que digo.

      Eliminar
  2. Bem Belinda começar o dia a ler uma carta tão linda para uma menina tão linda como a tua, é bom, enche o coração obrigado obrigado obrigado pela partilha, pelo amor que transmites porque muita gente não entende esta forma de viver sem pressas, sem muito dinheiro, sem luxos mas com muito muito amor <3 <3 <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cristina, grata pelas palavras que escreveste. Não posso, nem devo escrever tudo o que penso, mas acho que temos de ir revelando ao mundo as coisas em que mais acreditamos. E somos tão estranhos por isso. Haja quem nos entenda. muito amor!

      Eliminar
  3. <3 gostaria de ter escrito o mesmo para a minha filha.

    ResponderEliminar
  4. peço emprestadas estas palavras para os meus filhos.
    impossível estar mais de acordo.
    É mesmo isto!

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pela partilha,
    Obrigada pela beleza fruto da sinceridade,
    Obrigada por nos fazer acreditar no ser humano e que o mundo é um lugar maravilhoso enquanto houver uma mãe que escreva cartas destas a uma filha.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Maravilhoso.
    Obrigada pela inspiração matinal.
    É um orgulho ter uma mãe assim.

    http://marta-dolcefarniente.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Adorei, adorei. Tão verdadeiro. Tão sábio. Tão maravilhosamente simples. E infelizmente tão afastado do que vai sendo a realidade. Palavras destas, quando bem semeadas, podem fazer muito por um mundo melhor. Por isso, obrigada pela partilha e pela inspiração.

    ResponderEliminar
  8. Estou imensamente grata pelas vossas palavras. Que elas se transformem em verdade para todas as pessoas que acreditam nelas. Bem haja a todas!

    ResponderEliminar
  9. é uma das coisas mais lindas que eu li nos últimos anos! Simplesmente maravilhoso. Muitos destes concelhos ficaram bem gravados na minha alma! Parabéns pela maneira linda como você pensa !

    ResponderEliminar
  10. Inspiração para esta sexta-feira de sol, inspiração para a vida!
    Obrigada Belinda :)

    ResponderEliminar