Uma escola assim

Não tarda a M. vai fazer três anos e entretanto já comecei a procurar todas as hipóteses possíveis para que ela possa usufruir de um espaço em que possa brincar e principalmente sentir-se o mais livre possível como tem sido até agora e partilhando isso com outras crianças da sua idade. Tive a sorte de puder tê-la comigo até um ano de idade e depois optei por tê-la numa ama, onde achei que seria uma pessoa mais disponível a dar-lhe colo e atenção, que eles tanto precisam nos primeiros anos de vida, depois surgiu a oportunidade de ficar alguns meses com uma grande amiga nossa em contexto de ar livre e brincando na rua com outras crianças. Neste momento partilhamos os dias juntas e sinto que também seria importante o seu contato regular com mais crianças, uma vez que vivemos no campo e até um pouco isolados. Por isso comecei por conhecer os jardins de infância que existem próximos de nós. Acho importante conhecer a energia das pessoas que irão passar todos os dias com a M., saber as rotinas, as atividades, a importância que dão ao contato com a natureza e ao contato com os outros, a abertura do espaço aos pais, o diálogo e a partilha, a alimentação. Afinal de contas vamos confiar os nossos filhos a outras pessoas. Procurei de coração aberto para sentir o que é mais verdadeiro para mim e para a nossa família. A verdade é que encontrei esta escola, onde senti verdadeiramente aquilo que acho mais correcto para a minha filha e também para todas as crianças. Um jardim de infância Waldorf com uma filosofia diferente do ensino que estamos habituados. Um lugar de sonho onde as crianças podem ser e devem ser quem realmente são, não recorrendo a tabelas de avaliação ou parâmetros que fazem pouco sentido com três anos de idade. Aqui a criança não é avaliada, mas sim estimulada a ser ela própria, um ser único e livre. As atividades desta escola são maioritariamente artesanais e artísticas estimulando o sentido destes pequenos seres. Acho que as imagens falam por si. O meu coração ficou lá e a minha cabeça não pensa noutra coisa. Este jardim de infância fica longe, muito longe mas foi-nos dada uma semente, uma semente que prometemos cuidar com muito amor e quem sabe fazer crescer no Alentejo. Fotografias de Elisabete José.

"O nosso mais elevado objectivo deve ser a promoção do desenvolvimento de seres humanos livres, aptos a dar por si próprios sentido e direção às suas vidas". Rudolf Steiner 










2 comentários:

  1. Isto sim é um infantário! Por isso, e porque não esquecemos aquilo que vivemos em criança, é sempre bom dar mais uma olhadela e existirem, especialmente, mais sítios assim: livres.

    ResponderEliminar
  2. A minha Fafas está com dois anos e meio, está na altura de a inscrever na escolinha. Ela tem estado sempre com a avó e bisavó, mas acho que lhe faz muita falta o contacto com outras crianças, que ela adora e é parco. Gostava tanto de uma escola dentro da filosofia waldorf, mas parece-me que para já será mesmo o Jardim de Infância da zona, e só aos três anos e meio...

    Abraço,
    ***rita

    ResponderEliminar