Já sabem que sou uma rapariga fora de moda. Não gosto de sair à noite, nunca bebi gin tónico na vida, não gosto de saltos altos nem de unhas muito pintadas. Prefiro as modas passadas às modas atuais e sempre que posso uso flores na cabeça. Não tenho interesse nas cores da estação. Quando posso vou à cidade, mas assim que volto, fico pelo campo. Não suporto deitar-me fora de horas e se pudesse ia às festas durante a tarde. Prefiro o silêncio e prefiro dançar descalça. Sou deste tempo mas sem ser. Podia muito bem ir ao encontro destas carroças em troca de um pôr do sol, ou em troca da liberdade. Os novos ciganos já existem há muito tempo, eu é que ainda não os encontrei por aí. Vejam mais fotos como estas aqui.























Fizemos estas panquecas integrais de maçã e escutámos a chuva.





























Tirar férias no outono é arriscado. Corre-se o risco de não ter de esperar em filas, de ter sempre lugar onde estacionar e de ter o silêncio como vizinho do lado. Tirar férias no outono é correr o risco de apanhar a brisa fresca da manhã e o sol quente do meio dia. É correr o risco de ter a chuva de quem gosto tanto, mas ter antes o sol sem me aquecer demais e sem a chuva a fazer-me falta. É correr o risco de ver mais verde do que vejo no lugar onde vivo porque a paisagem que mais gosto é aquela que tem essa cor. É ainda correr o risco de ir a lugares desconhecidos e com alturas impróprias para quem não gosta de alturas. É arriscar fechar a Venda aos fregueses, coisa que no tempo dos meus pais e avós não se podia fazer. É correr o risco de ir e voltar com novas ideias e projetos e mais vontade de arriscar. Arriscar a ser feliz.

Uma terça-feira de férias em pleno Outono. (prometo contar um pouco mais destas férias em breve)































Do fim do verão que é melhor que o ínício. Das praias vazias. Dos figos do monte. Da M. vestir vestidos só para dançar. Este já foi, que venha agora o frio e a chuva, já estamos prontos.
As terças habituadas à praia, aos almoços fora de casa, às viagens e aos passeios terminaram, pelo menos para já. O Outono chegou à séria, e eu fico muito feliz por isso, as terças vão voltar a ser em casa ou algures em sítios acolhedores.

Nas últimas terças despedimo-nos de amigos que vão para longe, recebemos outros que vão ficando mais perto. Destralhámos a nossa casa com o que já não nos faz falta e mimámos o pouco que queremos que fique. O verão pedia-nos para sair e o outono pede-nos para ficar. Esta terça foi dia de ficar.