Desde que conheci o G. que alcancei outra forma de ver as minhas refeições e embora na Venda trabalhe com os pratos fantásticos da minha mãe, por vezes apetece-me ter mais fregueses a experimentar pratos vegetarianos que vou descobrindo com ele. No alentejo comem-se muito os enchidos, as carnes e o peixe, por isso é bom existirem alternativas. Começo sempre por dizer aos meus fregueses que os pratos vegetarianos não são só alface e soja, existem em muita maior variedade do que o peixe ou a carne. As próprias açordas alentejanas são facilmente pratos vegetarianos, talvez por isso goste tanto delas e os meus fregueses também. E quando já não sabemos mais que pratos vegetarianos cozinhar, mandamos alguém para bem longe, como por exemplo, para a Índia, para depois obtermos algum resultado proveitoso: umas sandálias novas e uma receita nova para eu colocar em prática: momos! Momos são agora o nosso prato favorito, queremos momos com tudo. Então cá vai a nossa primeira receita de momos, feita no alentejo. 

Momos de cogumelos e legumes

Ingredientes:
- 2 cenouras pequenas
- 1 beringela pequena
- 5 cogumelos frescos
- sal marinho q.b.
- pimenta branca/preta q.b.
- 2 pedaços de gengibre 
- sumo de meio limão
- 1 dente de alho picado

para a massa...
- 275g de farinha 
- 1/2 colher de chá de sal
- 1,5 dl de água morna
- farinha para polvilhar

para o molho...
- 1 iogurte
- mistura de coentros e alho em pó q.b.
- 1 piri-piri
- azeite q.b.
- sal marinho q.b.

Preparação:
Preparar a massa, amassando todos os ingredientes até a massa ficar macia.
Descascar e de seguida picar todos os legumes, cogumelos e gengibre, colocar num recipiente e temperar a gosto com sal, pimenta branca, preta e regar com sumo de limão. Poderão utilizar outros legumes. 
Depois da massa esticada, fazer bolinhas e estender. Colocar no centro das bolinhas uma colher de sopa do preparado de legumes e fechar, fazendo um saquinho. Cozer a vapor durante 20 minutos. Para o molho mexer todos os ingredientes até ficar homogéneo. Servir com arroz basmati e molho picante. 
 



Acordar assim, almoçar com os amigos até tarde, ir a correr ver o pôr do sol na praia e voltar para casa. O Outono ainda mal chegou e já pede algum recolhimento. 

1. Toalhas brancas bordadas
2. Fazer bolos de cenoura e noz
3. Fazer praia com os avós do norte
4. Tomar banho na rua

































Em Setembro e em modo de dizer adeus ao Verão gosto de ir a Alvalade do Sado, uma pequena vila do concelho de Santiago do Cacém que fica a pouco mais de meia hora de carro e onde se vê uma paisagem quente e dourada própria deste alentejo onde vivemos. É neste mês que se comemora o foral manuelino daquela vila e por isso esta feira serve para reviver essa época. Este ano comemora-se o 503º aniversário desse foral. É uma feira pequena, com artesanato interessante, doçaria local, bebidas e petiscos variados. A mim sabe-me sempre a pouco cada vez que lá vou. Para saberem mais sobre Alvalde do Sado, visitem aqui.























A avó fez anos e nós fomos passear com ela. Ela sabe o quanto é importante para nós e não fazemos questão de o dizer apenas aqui. Demos-lhe abraços, mimos e beijinhos, porque ela é mesmo a nossa querida mãe/avó.




























Dos banhos. Da praia. Das flores e do campo. É tão bom viver com tempo.























Almoçar no Tobias. Não há verão que passe sem lá ir. São poucas as vezes que como marisco, aliás muito poucas, mas quando como, é aqui. Não sou grande apreciadora deste tipo de pratos, mas se há casa onde se come um excelente arroz de marisco, é esta. O dono, o senhor Tobias, é um excelente anfitrião e eu também lá vou por causa dele, vê-se que adora a sua profissão e por isso esta casa é um sucesso. A garra dele motiva-nos sempre a andar para a frente. Se lá forem peçam um arroz de marisco e metam conversa com o senhor Tobias, de nada se irão arrepender.


























Dos retiros no monte. Do festival músicas do mundo. Do andanças. Estas fotografias são e sabem a um verão que ainda não acabou.


O verão não é verão se não formos à praia do Carvalhal, mas prefimos esta praia em Setembro, quando quase todos já regressaram ao trabalho. Ainda há o calor, o mar a pedir banhos e as bolas de berlim que nunca passam despercebidas. É tão bom viver a poucos quilómetros desta vida.
1. Regar a horta ao domingo
2. Açorda de tomate com figos na Venda
3. Bicicletas antigas
4. Praia do Carvalhal em Setembro


Sigam-nos no Instagram: @belindayamsobral

































Ir à praia com os amigos. Amigos são a família que escolho. São os amigos que me escutam com o coração. Estão quase sempre longe mas parece que nunca saíem de perto, não nos cobram a distância ou a ausência, aceitam e respeitam as nossas diferenças e são mais amigos ainda, seguem caminhos diferentes, mas vão sempre ao nosso lado, a dizer: sim, vai em frente. Amigos vão e vêem , estes amigos vão e ficam, no mesmo lugar que lhes pertence. Deixo sempre os meus amigos livres, livres de terem outros amigos e partirem, se quiserem, mesmo assim, eu chamo a eles amigos, mesmo que eles já não me sejam, mesmo esses podem voltar se lhes apetecer. Mas amigos, amigos são aqueles que são familia, são estes os que me guardam no coração.