Fazer de conta que tenho 16 anos e ir ver um concerto pop. Uma terça-feira a não repetir pois afinal de contas não tenho 16 mas tenho quase 30 e há coisas para as quais já não tenho paciência. Apesar de dançar e pular muito ao som de algumas músicas a verdade é que não há pachorra para os atrasos destas vedetas, o concerto começou cerca de uma hora e meia depois e o meu coração ficou apertado ao pensar nas crianças que esperaram cansadas e com sono para ver um concerto que nunca deveria ter começado depois das oito da noite. Aprendi que, quando quiser dançar e ouvir música pop e poucachinha, o melhor é fazê-lo em casa, saí mais barato e  não me deito tão tarde e ao menos posso fazê-lo com a minha filha de 2 anos. Porque é que há horas tão estranhas para nos divertirmos quando deveriamos estar a dormir?! Sou eu que estou velha ou é a mãe natureza que se enganou?
1. Passeios pelo campo
2. Brincar aos cafés na venda
3. Da Maria
4. Casamentos perfeitos


Falta menos de um mês para festejar o meu 30º aniversário. Gosto de fazer anos e gosto de manjericos. Tudo junto.































Este fim de semana decorre um festival que já devem ter ouvido falar, o Festival Islâmico de Mértola, onde se misturam as culturas alentejana e árabe, sendo que Mértola é a vila portuguesa mais islâmica, onde  encontramos igrejas em forma de mesquitas. Curioso não?! Visitar o souk (mercado de rua) e apreciar aquela paisagem magnífica do Rio Guadiana, as cores e os cheiros emanados de um festival que só acontece de 2 em 2 anos, é provalvemente um dos melhores programas para dizer adeus à Primavera e receber o Verão de braços abertos. É vestir a gabardine, calçar umas sandálias e esperar pela chuva e por algumas pisadelas ao passear pelo souk porque depois só em 2015. Estas fotos foram tiradas em 2009, a última vez que lá estive, curiosamente também choveu. A chuva já está confirmada, só falto eu. 























A horta está a compor-se e não fossem os meus pais os hortelãos eu queria ver onde é que eu arranjava tanta sabedoria para fazer uma horta assim. Porque não aprendemos nós na escola a fazer uma horta?!
 1. Andar às cavalitas
2. Dizer "olá" aos vizinhos pelo postigo da porta
3. Brincar na esplanada da venda com as meninas que nos vêm visitar
4. Usar chapéu em dias de sol









Quero isto e pouco mais. Casaco , Jardineiras, Chinelos.

































Três alentejanas foram a cidade. Regressaram e parece que já lá não voltam nos próximos meses. (sorrisos)



A minha mãe. Não usa baton. Vai à cabeleireira. Não pinta as unhas. Não se maquilha. Usa jóias. É cozinheira, é bonita, é a minha colega de trabalho e ensina-me tudo aquilo que eu não quis aprender porque quis ir estudar.

A minha mãe. Trata os filhos como se eles nunca tivessem saído debaixo das suas saias. Diz-me para não ligar às pessoas que dizem mal de nós, para lhes dar um desconto. Diz-me para não fazer caso do meu pai que às vezes é chato. Diz-me para me dar bem com toda a gente porque precisamos todos uns dos outros. Diz-me para ser poupada e para apanhar as ervas daninhas da nossa horta. Diz-me para não ligar tanto ao computador porque ele não faz falta para fazermos a nossa vida.

A minha mãe deixa a M. sujar-se no chão porque tem dentro dela uma criança grande que brinca com a M. sem regras e com os cuidados de uma avó. A minha mãe sabe o que é o yoga, mas não tem facebook. A minha mãe cuida da vida dela e ajuda-me a cuidar da minha apenas quando lhe peço. A minha mãe tem um sorriso fácil e ajuda-me a rir-mo-nos de nós próprias. 

Tenho muita sorte em trabalhar todos os dias com a minha mãe.  

Feliz dia da mãe.

































Fui ver o alentejo e ouvir esta música. A tecnologia permite destas coisas. Encontrei no facebook da taberna do arrufa este lindo vídeo de uns taberneiros jovens como eu. Não tarda vou visitá-los, mas isso é assunto para outra terça-feira. Lindo, este alentejo.