ouvir esta banda sonora como se não existisse amanhã. a favorita a número 6. freedom.

















Lembram-se de ele um dia ter saído à rua assim. Pois hoje saiu à rua assim, simples, lindo e maravilhoso, as cores não podiam combinar melhor e o look perfeito para um dia frio mas com muito sol. Mais uma vez espantada com o estranho bom gosto e boa combinação perguntei: "Porque é estás tão giro hoje", ao que ele responde: "A sério, estou? Não sabia que isto era bem vestido".
Ele desta vez tem estilo mas, tal como da outra vez, também não se importa nada com isso. Não será isso o que lhe ficará melhor?!























Arrumar o que falta. Almoçar, fora e fora de horas, com ele. Pensar na próxima semana que vão fazer 2 anos que somos pais da M. Olhar ao espelho, olhar-me bem nos olhos e dizer-me que a vida é maravilhosa e que eu não me posso esquecer disso todos os dias, não só quando a lua cresce mas também quando ela diminui e desaparece.


















Bolinhas de batata crocante com amêndoa/Salteado de grelos e bróculos

As bolinhas feitas por mim:

Ingredientes: sobras de pão,250 g de amêndoa sem pele, coentros, 1 kg de batatas cozidas,sal, pimenta, noz moscada, 4 gemas de ovo, 4 ovos batidos.

Preparação: Ralar a amêndoa, reservar. Ralar o pão juntamente com os coentros. Juntar a amêndoa ao pão ralado e aos coentros, adicionar azeite e voltar a triturar tudo junto. Cozer as batatas. Fazer um puré com as batatas, juntando o sal, a pimennta e a noz moscada e no final adicione as gemas de ovo. Com as mãos húmidas fazer pequenas bolinhas, passar depois pelos ovos batidos e de seguida pelo pão ralado com a amêndoa. Levar ao forno a 200ºC durante 30 minutos.

O salteado de grelos e bróculos feito por ele:
Ingredientes: bróculos, grelos, alho francês, garam masala, molho de soja, azeite, óleo de coco, pimenta e sal.
Preparação: Cortar os bróculos, os grelos e o alho francês, de seguida salteá-los em azeite, colocar sal, pimenta e garam masala e quando estiverem quase prontos acrescentar o molho de soja e o óleo de coco.

Bom apetite!























Brincar ao Carnaval. Fico ansiosa, com suores frios, entro em hiperactividade e em hiperventilação e quase que me dá uma coisa se não brinco ao Carnaval. Assim, mesmo exagerada. Díficil é encontrar exagerado(a)s como eu, que queriam entrar nesta festa. A M. foi a primeira a ser levada para a brincadeira, custou, mas depois lá ia pedindo: mãe, pintuias, pintuias! O pai chegou tarde e sem vontade de brincar, mas a proposta foi irrecusável (assim que possa coloco algumas fotos nossas) e lá fomos nós ao baile de Carnaval aqui em Grândola, só para matar o bichinho dançarino que temos dentro de nós e que não tarda morre. Ai o tempo o tempo, nunca há tempo para dançar. Eu por mim, andava assim todos os dias, pintada, "entrouxada" e dançava.... dançava... dançava, todos os dias da minha vida.

















Visitar os meus tios. Fico sempre fascinada com aquela casa, está tudo no mesmo lugar que estava quando eu tinha 10 anos e ia para lá passar as minhas férias. Eles têm sempre tempo para nos receber e nós passamos lá sempre com o tempo apertado. A conversa não é sempre a mesma. O meu tio tem uma cultura como nunca vi em ninguém da idade dele e mesmo só com a quarta classe consegue explicar-me coisas que nenhum professor conseguiu. É uma pessoa calma que lia muitos livros e que não se esqueceu de nada do que neles leu. Eu fico sempre fascinada com o chão, as janelas, as mobílias, os biblôs, as histórias do meu tio e os bolos da minha tia. São adoráveis. Têm oitenta e poucos anos e vivem os dois, sem filhos, sempre se dedicaram um ao outro. Cuidam um do outro como se deles próprios se tratasse. E não precisam de mais ninguém porque ainda se têm a eles como tivessem o outro.
1. Passear pela manhã com a Índia
2. Apanhar laranjas
3. Noites sem energia elétrica
4. Apanhar sol nos dias frios